Thumbnail
Access Restriction
Open

Author Ossanes, Carlos
Source Directory of Open Access Journals (DOAJ)
Content type Text
Publisher Universidade Federal de Santa Maria
File Format HTM / HTML
Date Created 2017-10-28
Copyright Year ©2017
Language German ♦ English ♦ Spanish ♦ Portuguese
Subject Domain (in LCC) P ♦ PN1-6790
Subject Keyword Literature ♦ Language and Literature
Abstract Ainda que não se trate de uma tradução intersemiótica, o longa Mais estranho que a ficção (Stranger than Fiction, 2006), dirigido por Marc Forster, traz à luz das discussões sobre a Teoria da Adaptação um exemplo interessante a respeito do que André Gaudreault denominou meganarrador cinematográfico: uma entidade extradiegética que administra a narrativa. Na obra, a personagem Karen Eiffel escreve um romance sobre a vida de um homem chamado Harold Crick, sem saber que ele realmente existe. A personagem adquire uma voz narrativa diferente quando dentro da diegese primária, por acontecer com Harold tudo aquilo que ela datilografa de sua história. Esse fato é marcado, na película, pelo momento em que a personagem passa a ouvir a voz de sua autora a narrar, prescritiva e descritivamente, as ações do seu dia. Essa estrutura narrativa rende uma aproximação entre o método narrativo da literatura com as recorrentes narrativas cinematográficas, gerando uma problemática acerca das faculdades discursivas de cada uma das linguagens, foco deste trabalho.
ISSN 1679849X
Age Range 18 to 22 years ♦ above 22 year
Educational Use Research
Education Level UG and PG ♦ Career/Technical Study
Learning Resource Type Article
Publisher Date 2017-04-01
e-ISSN 1679849X
Journal Literatura e Autoritarismo
Issue Number 19


Source: Directory of Open Access Journals (DOAJ)